Primary Menu

How to Overcome the Hangry Horrors

Yin and Yang

10 dicas de sobrevivência para atravessarmos Tempos Interessantes

10 dicas e não só, para sobrevivermos enquanto estivermos em situações desafiantes

 

Já notou que estamos a viver em tempos interessantes?
Há culturas onde desejar que alguém "viva em tempos interessantes" é assunto sério. Uma maldição terrível.
E aqui estamos nós neste singular aqui e agora. É como ter de atravessar um pântano em que há que proceder com extrema prudência, testando antes a solidez do apoio para cada passo que se dá, e em que nunca se sabe se "aquilo ali" é um mero tronco ou um jacaré que nos quer devorar.
Sinto o " viver em tempos interessantes"  como uma aventura fascinante, onde temos a oportunidade de testar o quão corajosos e sábios nos tornamos, transformando circunstâncias desafiadoras em aprendizado.
O nosso "agora" é um momento histórico muito forte. Depois dele nada será como antes. Para chegarmos ao futuro precisamos de muita flexibilidade.
Considerando uma abordagem pela Astrologia há que atentar que no céu há uma enorme luta entre os planetas mais poderosos. 
Onde Plutão entra todas as coisas inúteis serão destruídas. Isto para serem fundidas num caos o qual mais tarde cristalizará de uma nova forma, esta mais útil. Durante o ano passado (o histórico ano de 2020) aconteceram fortes encontros entre o inexorável Plutão, o alegre e exagerado Júpiter, velho sábio ou temeroso Saturno e o revolucionário ou louco Úrano. 
Durante todo este ano de 2021 o futurista Úrano e o rígido e velho Saturno andam numa longa quadratura, na qual medem violentamente as suas forças criando com isso, no mar de energia da Terra, uma onda colossal que, para nosso bem, temos que arranjar maneira de surfar. Todavia pode ser avassalador, já notou?
Esta dança celestial afeta-nos a todos no geral, todavia simultaneamente a cada um de nós em particular. A partir dos dados de nascença podemos preparar-nos para sarfar as previstas ondas que aí venham, em vez de sermos surpreendidos por elas e irmos ao fundo.
No entanto, eu sei qual deles vai ganhar e eu vou-lho contar: a vitória pertence sempre ao planeta mais poderoso por lento. Então, assim temos que mais uma vez o futuro vai vencer o passado. Mas que futuro nos espera? Só depende da nossa habilidade para sarfar as ondas da Vida.

O que sinto mais forte na atualidade é que chegamos a uma feia distopia, depois de décadas ou séculos sonhando com várias belas utopias. Idealizadas matrizes de uma História futura.
Até muitos do meus queridos gurus ou mestres inspiradores compartilhavam esses sonhos. A maioria deles já não está mais connosco, todavia aqui estamos nós dentro de uma distopia imensa.
Talvez seja verdade que a linda utopia é tão má como a feia distopia. Sendo elas só um outro par de opostos complementares em que a qualidade muda com a quantidade.
Será que sonhar em criar um mundo melhor é apenas, sob influência de Neptuno, outro tipo de escapismo à realidade? 
Neptuno tem estado em quadratura ao Nó Norte, ponto que nos dá a nossa missão a cumprir na Terra, portanto é muito provável que tenhamos acreditado em mentiras e ilusões. Há que ser prudente e considerar esta hipótese na travessia do pântano pútrido.
Em pessoas com um Úrano desequilibrado, no seu mapa astrológico natal, na maioria, sentem-se tão mal no seu íntimo, que frequentemente têm uma atitude muito característica neste grupo, em relação à vida no geral. Incapazes de gratidão e espelhando-se no mundo exterior dizem mal de tudo, odeiam tudo o que nele veem, sentindo-se de tal forma mal que querem destruir tudo, pois tudo estaria “muito mal”. São estes os rebeldes para os quais foi criada a frase "se quer mudar o Mundo comece por mudar-se a si mesmo". Consequentemente querem fazer acontecer uma revolução para destruir tudo, na esperança que, depois dela, apareça um qualquer tudo novo, capaz de apaziguar o seu terrível mal-estar interior. Este tipo de pessoas são muito usadas em política, sendo na maioria designáveis por “idiotas úteis” e manipulados para serem sacrificados como “massa de manobra”. Assim que a revolução triunfa são rapidamente eliminados com um tiro no primeiro paredon, simplesmente porque “estes gajos não se aguentam!”
Enquanto aqueles que nasceram com um Úrano equilibrado vivem em paz dentro da realidade, fazendo pequenas mudanças apenas se necessário, depois de muito ter meditado e ouvido os anciãos. 
Jovens sem anciãos são apenas um grupo de ingénuos cordeiros divertindo-se por um verdejante campo. Os lobos adoram-nos… para prazerosamente devorarem estes tenros patetas. Além disto, como a liderança é uma função sine que non para algum grupo existir, (pessoas juntas mas sem líder são apenas um ajuntamento criado pelo acaso) o líder tem de guiar o grupo para o bem de todos ou será banido. Um grupo torna-se mais forte e coeso quanto mais banir os que não sirvam os objetivos partilhados, como bem se pode ver nas equipas de vendas. Na etimologia da palavra “bandido” está o banimento. O bandido foi alguém messo al bando por trair os objetivos comuns. Ora assim, quando se quer destruir um qualquer grupo, basta dar poder e apreço aos seus elementos mais ingénuos ou mais imbecis ou, enfim, piores na qualidade humana. Aqui temos nós o exemplo de uma orquestra a tocar um desastre, porque sem um sábio maestro para conduzi-los, por muito bem que cada músico toque, falta-lhe a sensata coordenação.

Temos que considerar também a hipótese e verificar se não estamos a alucinar por aí, por outras realidades fora, como consequência de tantos anos a viver afastados da Natureza. Enclausurados dentro de altas gaiolas de Faraday (chamadas prédios), fechados em zonas artificiais (grandes cidades), calçando sapatos com solas isolantes (pessoas descalças na terra são impossíveis de enganar), poluídos de todas as formas (até emocionalmente, por repetidos pensamentos coletivos que criam constantes lutos), em confusão mental (por ordens ou ideias contraditórias), usando drogas (mais ou menos legais) enquanto comemos alimentos refinados e industriais (feitos por máquinas, com certos ingredientes no mínimo bizarros e surpreendentes). Muitos, como bem sabe, são feitos de farinha. Portanto, neste nosso mundo de fractais, o conhecimento mais generalizado ficou também caoticamente dividido em estilhaços, tal como o são as deformadas partículas de farinha; a partir das quais jamais seremos capazes de reconstruir um grão inteiro. Além disto, qualquer ligação que se verifique entre dois desses estilhaços é apenas a consequência de um qualquer acidente transitório.

 

  • A Cultura é um conjunto de horizontes em que existem valores partilhados.
     
  • A Verdade é quando aquilo que pensamos coincide com a realidade.


Neste nosso mundo impermanente composto de mudança, na dança eterna de Yin e Yang, sabemos que aqueles que estão no topo agora, ficarão em breve muito em baixo... Portanto, valores, regras, "verdades" e assim por diante, quanto mais rígidos e dogmáticos mais facilmente se quebram sendo destruídos, porque o implacável Plutão está a depurar profundamente antigas toxinas nas estruturas de Poder vindas do passado. Isto diz respeito a todos os assuntos, assim como a nós os dois também, meu querido leitor.
Gosto de explicar Plutão como um vulcão: destrói a montanha e a cidade, derrete a pedra, faz vir à tona o escaldante magma saído das entranhas da Terra, cria um pandemônio, porém... depois de tudo isso acalmar e enquanto a lava esfria, há maravilhosos cristais sendo criados. E quanto mais lento for o arrefecimento maiores e mais belos eles serão.


A Macrobiótica em si também é bastante plutónica: ela vai fundo, muda-nos, limpa-nos e depura-nos de dentro, visceralmente; neste caso já ficamos capazes de criar um novo corpo, uma nova maneira de ver o nosso Universo pessoal e, em seguida, criar uma nova vida que tenha plenamente a ver connosco. Aqui já podemos referir-nos a uma outra imagem de Plutão, esta representada no seu nível mais elevado: a Fénix. Essa ave mítica, que se desfaz em labaredas para logo se renovar, renascendo das próprias cinzas mais forte e mais bela.
Para mim, a única forma de cura verdadeira é a Plutónica.

Agora aqui estão as tais prometidas 10 dicas para lidarmos com estes tempos interessantes :

 

  1. Tenha muito cuidado com estruturas metálicas e campos eletromagnéticos ao seu redor. Ainda me lembro, quando comecei a dar consultas pelos idos anos 80 do século passado, aconselhávamos os clientes a ver televisão apenas se estivessem a uns 10 metros da tela, nada de usar secadores elétricos nem outros pequenos dispositivos elétricos, tal como escovas de dentes, relógios de pulso com pilha, despertadores ou telefones. Sobre computadores, então, usaríamos pêndulos para verificar os limites os seus enormes campos de energia nefasta; contudo agora a maioria de nós trabalha com ele no colo... Até ao nome o mudaram para laptop.

2. Desligue seu dispositivo Wi-Fi assim que não precisar dele. Exatamente como você faz com luzes em sua casa.

3. Coma muitos grãos integrais inteiros, vegetais e feijão pequeno com algas marinhas. Aprenda a construir e usar um bom forno solar.

4. Evite qualquer tipo de farinha. Também rejeite quaisquer itens ditos "comestíveis" que sejam refinados ou fabricados industrialmente.

5. Cerque-se de materiais naturais. Seja nas roupas e acessórios ou dentro de casa.

6. Organize um jardim comestível orgânico onde estiver a viver. Pode ser mesmo na sua varanda ou perto da janela da cozinha, para manter contacto com a evolução da energia com as fases da lua e as estações do ano, mas também com a vitalidade, as doenças, os insetos, os pássaros ou as pragas, enquanto cria alimentos frescos de qualidade. Crie ciclos virtuosos. Faça compostagem dos restos orgânicos. Feche os ciclos.

7. Massaje vigorosa mas suavemente, com uma toalha turca de algodão, por toda a sua pele. Molhe-a com água salgada, bem quente, com gengibre ralado.

8. Caminhe descalço na Natureza ou pelo menos em superfícies naturais. Ande na ponta dos pés e pule sempre que puder.

9. Exercite-se todos os dias pelo menos até sentir a transpiração na pele.

10. Sinta-se grato por tudo e qualquer coisa em sua vida. Fique certo que consegue transformar o Mal em Bem, neste nosso mundo de impermanência. Ligue-se ao Divino. Siga a Ordem do Universo.

 

Claro que o Bem e o Mal existem tal como o Yin e o Yang, o frio e o calor ou o dia e a noite.
No entanto, ser sábio é ser flexível e como tal ser capaz de tirar o melhor de qualquer situação ou acontecimento. Mesmo, estando nós como agora, a imitar Pinóquio, dentro desta barriga de baleia colossal.